25/01

Safra 2018/19 de soja apresenta crescimento de 1,7%

A colheita da soja já começou em algumas regiões do Brasil e promete mostrar bons resultados. Isso porque, segundo os dados divulgados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a soja apresenta uma projeção de crescimento de 1,7% na área de plantio, atingindo 118,8 milhões de toneladas. Porém, a pesquisa também pontuou uma redução de 0,4% na produção do produto, mas nada que prejudique os números positivos em relação à safra anterior.

Na principal região produtora do grão do país, Centro-Oeste, o incremento na área plantada atingiu 2,6% em relação a anterior, ultrapassando os 16 milhões de hectares semeados. No Mato Grosso, o plantio da safra 2018/19 de soja foi finalizado na primeira quinzena de dezembro e foi adiantado devido a regularidade das precipitações pluviométricas. Agora as atenções se voltam para o desenvolvimento da lavoura e estimam que ela seja excelente. No Mato Grosso do Sul, a área plantada atingiu 2,82 milhões de hectares e na atual safra há uma expectativa de aumento de aproximadamente 5,4% de área plantada.

Para a região Sudeste, a área plantada com a oleaginosa deverá apresentar incremento de 3,5% em relação à safra passada. Em Minas Gerais, as lavouras de soja têm sido consideradas a melhor opção de plantio pelos produtores. A estimativa para o plantio de soja é de 1.529,6 mil hectares, representando um aumento de 1,5% sobre a área da safra anterior. O Conab considera esse acréscimo de área plantada uma projeção de produtividade média de 3.645 kg/ha.

Já para a região Sul, é esperado um incremento na área plantada de 0,5% em relação ao exercício anterior. No Paraná, a área plantada é de 5.453,9 mil hectares. Em comparação com à safra passada, a área é praticamente a mesma. A produtividade média estimada, até o momento, é de 3.516 kg/ha, muito próxima ao da safra anterior, que foi de 3.508 kg/ha. No entanto, em razão da forte estiagem aliada a altas temperaturas, observadas principalmente na região Oeste, está prevista a ocorrência de perdas na produtividade da oleaginosa.

Por fim, quanto às perspectivas de comercialização do grão, o consultor econômico, França Junior, analisa que em função da manutenção ou da melhora no padrão de preços do mercado internacional, o sentimento para o mercado de soja de 2019 é positivo para os brasileiros. “Provavelmente mais conservador do que os excelentes resultados alcançados pelos produtores brasileiros em 2018, temos a tendência de que a maioria do setor obtenha o décimo terceiro ano consecutivo de avanço na renda. Essencialmente esse favorável desempenho dominante viria por combinação de vendas antecipadas de 33% da projeção de produção com preços remuneradores, desempenho regular da produtividade média, embora abaixo de 2018”. Ele também ressalta que os números ficarão medianos devido às limitações de resultados por problemas regionais climáticos.

Foto: Pixabay