13/12

Quais os tipos de solo do Brasil

O Brasil tem muitas diversidades, seja na cultura, no povo, na comida e até mesmo na terra. Cada região do país apresenta um solo com características únicas e entendê-las ajuda o produtor a saber o que é mais aconselhável cultivar. 

Dentre eles, destacam-se Latossolos, Argissolos e Neossolos. Juntos, eles compõem aproximadamente 70% do território nacional. A caracterização e a organização dos solos em diferentes classes nos permite manejá-los de acordo com seus atributos, que determinam suas potencialidades e limitações.

Segundo a Embrapa Solos, as classes Latossolos e Argissolos ocupam aproximadamente 58% da área e são solos profundos, altamente intemperizados, ácidos, de baixa fertilidade natural e, em certos casos, com alta saturação por alumínio. Também ocorrem solos de média a alta fertilidade, em geral pouco profundos em decorrência de seu baixo grau de intemperismo. Estes se enquadram principalmente nas classes dos Neossolos.

Latossolos

Os Latossolos são típicos das regiões equatoriais e tropicais do país. São os solos mais representativos do Brasil, ocupando aproximadamente 39% da área total, normalmente em relevo suavemente ondulado e plano.

Eles são altamente intemperizados e sem incremento de argila em profundidade. As cores variam de brunadas, avermelhadas ou amareladas, sendo as últimas de maior expressão. A textura varia de média a muito argilosa e, nos mais oxídicos, pode ocorrer estrutura granular, de tamanho muito pequena a pequena e de grau de desenvolvimento que varia de forte a muito forte.

Argissolos

Esse tipo de solo pode ser encontrado em praticamente todas as regiões brasileiras em diversas condições de clima e relevo. Representam aproximadamente 24% da superfície do país. 

Identificados pelo maior teor de argila nos horizontes subsuperficiais em relação aos superficiais, que caracteriza um gradiente textural ao longo do perfil. A cor pode variar de acinzentada a avermelhada, sendo os matizes amarelos e vermelhos os mais comuns.

Neossolos

Os neossolos estão presentes em aproximadamente 15% do território brasileiro. São solos pouco evoluídos pedogeneticamente e com ausência de horizontes diagnósticos subsuperficiais, seja pela reduzida atuação dos processos de pedogenéticos ou ação dos fatores de formação. São jovens, constituídos por material mineral ou por material orgânico com menos de 20 cm de espessura. Apresentam predomínio de características herdadas do material originário, o qual confere grande variabilidade entre as subordens.