13/06

Mofo branco: formas de prevenção e controle

O mofo branco, também conhecido como podridão branca, é uma doença causada pelo fungo Sclerotinia sclerotiorum. Sendo considerada uma das principais e mais destrutivas doenças do feijoeiro, o seu maior meio de contaminação ocorre nas sementes, que são a principal fonte de inóculo e podem estar contaminadas com o patógeno ou ter escleródios misturados ao lote. 

A presença do fungo causa podridão da região do caule da planta, apresentando amarelecimento e seca na parte externa das folhas. Diversas estratégias de controle devem ser adotadas, desde o reconhecimento da procedência da semente a ser utilizada até os meios em que ela é armazenada e transportada, já que após a disseminação da doença, é quase impossível combatê-la totalmente. 

Conforme a Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), o mofo branco está presente em 9% das áreas de produção agrícola no Brasil, incluindo feijão, soja, algodão, abóbora, alface, almeirão, amendoim, batata, berinjela, canola, chicória, ervilha, girassol, kiwi, melancia, melão, pepino, soja, tomate e demais culturas de alvo biológico. 

Prevenção e manejo da doença

Em geral, as medidas de prevenção do mofo branco consistem no uso de sementes sadias e certificadas; a incrementação de micro-organismos no solo, como o Trichoderma spp.; a rotação de cultura com gramíneas e utilização de fungicidas em tratamento de sementes.  

De acordo com o professor de agronomia da Unochapecó, Fábio José Busnello, o uso de fungicidas em parte aérea pode ser necessário quando outras medidas não são suficientes para assegurar o controle. “Trabalhos realizados na Argentina demonstram que a aplicação de fungicidas específicos para a moléstia no estádio R1 demonstraram  um controle parcial da doença, tanto na incidência como na severidade. O período mais crítico da doença vai do florescimento até a formação das vagens”.

É importante reforçar que, por se tratar de uma doença de ampla contaminação e que atinge diversas culturas de maneira intensa, o seu manejo e prevenção devem ser seguidos de maneira correta. Principalmente em regiões que tenham as condições de clima favoráveis para seu desenvolvimento, como alta umidade e temperaturas amenas, entre 20ºC e 25ºC. 

Foto Embrapa