08/01

Importância do uso de plantas de cobertura em sistemas de plantio direto

O sistema de plantio direto tem como principais objetivos o não revolvimento do solo, restrito ao revolvimento apenas na linha de semeadura, a rotação ou sucessão de espécies vegetais e manutenção da palhada. Através dessa técnica, o produtor consegue melhorar as características físicas, químicas e biológicas do solo. 

Neste plantio, o uso de plantas de cobertura tem a finalidade de cobrir o solo, protegendo-o contra processos erosivos e a lixiviação de nutrientes. Além de diminuir os riscos de erosão, as plantas de cobertura incrementam a biologia e promovem efeitos benéficos na fertilidade do solo mediante o aumento na ciclagem de nutrientes.

Segundo a Engenheira Agrônoma, doutora em Solos e Nutrição de Plantas e professora da Unochapecó, Carolina Baretta, após a colheita, os restos vegetais são mantidos sob a superfície do solo com o objetivo de agregar várias características. “Uma delas é a característica orgânica, com a decomposição do material vegetal que irá entrar em contato com o solo e melhorar a atividade química e de retenção de nutrientes. Durante esse processo, também acontece a ciclagem dos nutrientes que estavam no resto do vegetal, que irão para o solo e que poderão ser utilizados pela planta ou armazenados no solo através dessa CTC”, explica.

A cobertura de plantas também contribui nas características físicas do solo, aumentando a estruturação do solo e sua capacidade de armazenar água. “A cobertura de plantas cria um microclima do solo, ou seja, faz com que não se tenha tantas oscilações de temperatura e com isso a taxa de evaporação é menor”.

É muito comum em sistemas de cultivo mínimo ou convencional as plantas sofrerem estresse hídrico. Nos sistemas de plantio direto, as plantas de cobertura ajudam a evitar esse problema, pois a técnica tem uma capacidade maior de reter e armazenar essa água dentro do solo e consequentemente disponibilizar para a planta em períodos onde o estresse hídrico é mais complicado.

Além disso, as espécies vegetais utilizadas como cobertura do solo auxiliam no controle de plantas daninhas, de doenças, de nematóides e de pragas, beneficiando diretamente as culturas sucessoras.

A espécie de planta de cobertura a ser cultivada deve apresentar algumas características: 

  • ser de fácil estabelecimento; 
  • apresentar crescimento rápido;
  •  proporcionar boa cobertura do solo; 
  • não ser hospedeira preferencial de doenças, pragas e nematóides; 
  • permitir a colheita de grãos ou o pastejo animal no período de entressafra;
  • apresentar sistema radicular vigoroso e profundo e produzir matéria seca em quantidade suficiente para a semeadura direta.

Através da utilização do sistema de plantio direto, o produtor consegue mais produtividade para sua lavoura e resultados mais favoráveis. O que acha de começar a implementar em sua propriedade?