30/05

Dicas para combater a ferrugem asiática

A ferrugem asiática é considerada a principal doença que acomete a cultura de soja na região Sul do Brasil. Esse problema inicia com a presença de um fungo biotrófico, ou seja, que sobrevive em tecidos vivos e gradativamente se prolifera pela planta, formando pústulas. Além da soja, esse fungo ataca outras 95 espécies que são hospedeiras em potencial e sofrem com a presença desse organismo. 

A ocorrência da ferrugem está diretamente associada às condições climáticas. Temperaturas médias menores que 28ºC e a presença de água nas folhas favorecem a infecção da planta. Em regiões com essas características, é fundamental que se faça o monitoramento semanal da lavoura, a fim de identificar o quanto antes a presença do fungo. 

Os primeiros sintomas podem ser vistos através de minúsculos pontos no tecido sadio da folha, com coloração esverdeada à cinza-esverdeada. Na parte inferior das folhas, existem saliências, que são as estruturas de frutificação do fungo. Com o aparecimento das lesões, o desfolhamento da planta é rápido e isso resulta na redução do número de vagens, do número e do peso dos grãos. 

A doença é de ocorrência constante, sendo recorrente ano após ano e é altamente agressiva. “Se o agricultor não estiver atento ao realizar as medidas de combate adequadas, poderá ter perdas consideráveis em seu plantio. No caso da soja, a aplicação dos fungicidas é uma das ações mais importantes, já que essa cultura é muito responsiva e reage bem ao combate do fungo com o uso desse recurso”, reforça o fitopatologista da Epagri/SC, João Américo Wordell Filho. 

Como combater a doença

1 – Análise do solo: dessa forma é possível reconhecer as fragilidades e necessidades da lavoura, agindo previamente com adubação equilibrada e aplicação de outros produtos, caso necessário; 

2–Controle de plantas daninhas: manter a lavoura limpa e livre destas invasoras também ajuda a evitar a proliferação de fungos;

3 – Evitar soja guaxa:  é  a soja que fica vegetando durante o inverno, e como permanece viva, se torna uma excelente hospedeira para a ferrugem asiática; 

4 – Aplicação de fungicidas: essa ação é essencial no controle do fungo. A primeira aplicação deve ser realizada de 30 a 40 dias após a emergência da soja, quando a planta estiver com seis a sete folhas totalmente expandidas. Depois com intervalos de 14 a 14 dias. Até chegar no fim do ciclo, o que deve levar de quatro a cinco aplicações. É de grande importância, escolher o bico correto para aplicação e trabalhar com uma vazão e pressão ideal no pulverizador.

Foto: Rafael Soares – Embrapa