21/08

Como os fertilizantes podem auxiliar a reduzir a fome mundial

A aplicação de fertilizantes, seja mineral ou orgânico, tem importante função para a produção de alimentos. Eles repõem de forma equilibrada os nutrientes que estão faltando no solo. 

A deficiência dos nutrientes nos solos pode ocorrer devido a vários fatores, seja por naturalmente os solos não apresentarem quantidades suficientes para a produção, pela perda por lixiviação e processos erosivos, ou mesmo pela constante remoção pelas colheitas. Assim, a segurança para devolver os nutrientes necessários está na aplicação de fertilizantes. 

Conforme explica o engenheiro agrônomo e professor do curso de especialização em manejo do solo da ESALQ/USP, Valter Casarin, os produtos agrícolas necessitam dos nutrientes nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio, enxofre, boro, cloro, cobre, ferro, manganês, molibdênio, níquel e zinco, considerados essenciais para os vegetais, sendo que a ausência de um deles irá comprometer a produção. 

“São esses nutrientes que promovem o funcionamento metabólico de uma planta e que permite que ela complete seu ciclo de vida e tenha produção adequada e com qualidade nutricional. Assim, o uso adequado dos fertilizantes é o caminho para o aumento na produtividade de frutas e verduras, permitindo a redução no custo dos alimentos”, complementa Casarin. 

“Os fertilizantes devem ser empregados em quantidades ideais para obter produtividade mais econômica, rentável e sustentável. Para que a adubação tenha essas características é necessário efetuar a análise de solo com o objetivo de avaliar a fertilidade do solo. É através dela que o engenheiro agrônomo poderá fazer a recomendação exata de corretivo e fertilizante, visando uma correção balanceada de nutrientes para as culturas agrícolas que serão exploradas em determinado solo. É por intermédio destas ações que o produtor estará fazendo o uso eficiente dos fertilizantes, sobretudo para aqueles que praticam a agricultura familiar e de subsistência. Essa atitude irá valorizar o aspecto social, garantindo a segurança alimentar, o aspecto econômico, fornecendo alimentos mais baratos. Também temos o aspecto ambiental, reduzindo a poluição e degradação do meio ambiente”, salienta Casarin.

O uso de fertilizantes para uma produção de qualidade 

Em levantamento pela conceituada revista científica Agronomy Journal, relatou-se que o uso de fertilizantes ao longo dos anos tem contribuído para ganhos médios de 50% na produção de alimentos. Por outro lado, em pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo (USP) mostrou que o uso de fertilizantes previne a perda de 10 a 40% da produção agrícola mundial. Esses casos mostram a grande contribuição que os fertilizantes têm oferecido a sociedade mundial.

A tendência, nos últimos anos, tem sido de crescimento na produção de produtos agrícolas. “No Brasil tivemos aumento na produção de grãos acima de 130%, com ganho de produtividade de aproximadamente 70%, enquanto a área agrícola cresceu pouco acima de 40%”, aponta o engenheiro. Da mesma forma, o consumo de adubos acompanhou o crescimento produtivo da agricultura brasileira, demonstrando a contribuição deste insumo no fornecimento de alimentos e na preservação ambiental. “Isso representa que estamos produzindo mais, sem a necessidade de abertura de novas áreas, ou seja, sem a necessidade de desmatamento. Certamente as perspectivas podem ser cada vez melhores”.

O importante é ter a consciência que o fertilizante é o caminho para devolver e disponibilizar os nutrientes essenciais carentes no solo, para que as plantas possam ter seu desenvolvimento pleno para uma produção farta e de qualidade, sempre respeitando o ambiente. O mesmo nutriente que estiver carente no solo estará carente na mesa do consumidor. Um alimento rico nutricionalmente é reflexo de um solo fértil.